22.12.10

 
Mau jornalismo - más politicas



Exemplos do Publico de 16 de Dezembro e de hoje. Manchetes baseadas num caso em declaracoes de dois ou tres juristas da area do direito do trabalho; e no noutro num estudo supostamente feito pelo Ministerio do Trabalho mas nao disponivel no seu site.

Ambos os casos - e sobretudo o segundo - parecem ignorar a diferenca entre analises na media e na margem. Por outras palavras, uma coisa sao empresas estabelecidas, com forcas de trabalho relativamente estaveis; outra coisa sao empresas que podem ou nao nascer, ou empresas que consideram expandir (ou contrair) e podem contratar um ou dois trabalhadores (se o salario for 475x14 mais impostos) - ou nao contratar ninguem (se o salario for 500x14 mais impostos).

Multiplicando pelas dezenas de milhares de empresas nessas circunstancias, e' facil perceber o alcance potencial do aumento do salario minimo, ao contrario do que se depreende de uma analise baseada em medias, ignorando este aspecto dinamico da criacao de emprego, tanto em novas empresas como em empresas ja existentes.

Por exemplo, os Quadros de Pessoal de 2008 (os de 2009 ou 2010 ainda nao estao disponiveis para investigacao) indicam que 11% dos trabalhadores por conta de outrem auferiam o salario minimo. No entanto, se se restringir a analise aos trabalhadores com menos de um ano completo de antiguidade na empresa, a percentagem quase que dobra para 20%.

Em termos de uma analise ao nivel das empresas, os resultados nao sao muito diferentes. A media da percentagem da massa salarial gasta com o pagamento de salarios minimos e' de 27%, um numero ja de si muito elevado, mesmo que explicado em parte por um numero elevado de empresas de pequenas dimensoes. No entanto, se se restringir a analise a empresas fundadas em 2008 (o mesmo ano dos QP, que se referem a Outubro), a mesma percentagem aumenta para 37%.

Se a prioridade em 2011 e' fomentar as contratacoes para reduzir o grave problema do desemprego, para que correr o risco de dificultar ainda mais os novos empregos?

Comments: Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?