14.6.06

 
Comparacoes Portugal / Reino Unido

Talvez seja demasiado exigente procurar por no mesmo plano as praticas governamentais de paises tao diferentes com Portugal e o Reino Unido. Mas, se alguma ideia ainda se retem da moribunda Agenda de Lisboa, e' a importancia do "benchmarking" para a melhoria das politicas publicas. E, efectivamente, talvez se consiga aprender algo em Portugal com um pais com uma democracia varios seculos mais antiga como a do nosso velho aliado.

Como talvez nao seja muito util comparar o conteudo das politicas propriamente ditas, dadas as varias diferencas entre os dois paises, olhe-se sim para o processo de definicao dessas mesmas politicas. Ha varios aspectos a mencionar: eu refiro apenas alguns que poderiam ter maior valor acrescentado em Portugal.

1- Pensar
Parece simples - mas flagrantemente nao acontece com frequencia. E' preciso identificar precisamente o problema que se quer corrigir; avaliar os metodos disponiveis; obter evidencia empirica de qualidade; comparar as diferentes possibilidades, usando analises custo-beneficio e outras; trocar impressoes com algumas das pessoas envolvidas; antecipar possiveis problemas; considerar correccoes.

2- Escrever
Tambem nao e' muito complicado - mas mais uma vez pouco se vez. Quantos textos (documentos de trabalho; livros verdes, brancos) que descrevem o contexto e a motivacao para decisoes publicas sao preparados antes dessas proprias decisoes publicas? E dos poucos que existem, quantos estao disponiveis na internet para que qualquer cidadao possa aceder, ler e ter a sua propria opiniao? E quantos foram preparados por outras pessoas que nao os amigos dos ministros, i.e. quantos desses textos tem conclusoes que nao tenham sido encomendadas na mesma altura da encomenda dos proprios textos?

3- Debater em publico
Fundamental - mas mais uma vez pouco existe, pelo menos que tenha alguma profundidade. Para tal e' necessario que os media tenham capacidade de perceber o que dizem - para alem de fazer "copy/paste" das noticias das agencias noticiosas e das centrais de comunicacao, alem dos fretes aos amigos e aos influentes.


O senhor da fotografia, de seu nome Jeremy Paxman, e' um jornalista da BBC no seu programa Newsnight, e representa a acutilancia e a anti-deferencia que, quando presentes nos media, prolongam a saude de qualquer democracia em varios anos. Por alguma razao que nao e' imediatamente clara, os media em Portugal nao podem assumir o cinismo e o egoismo que esta presente na esmagadora maioria dos actos publicos. Enquanto os media nao mudarem, enquanto continuar a nao existir jornalismo de investigacao em Portugal, pouco ou nenhum escrutinio das decisoes publicas se podera esperar - para alem da espuma dos dias das noticias de 30 segundos e o cheiro desagradavel de corrupcao e desperdicio que nao sai do ar.


Num proximo post continuo, com o 4- Repensar, 5- Divulgar, e 6- Implementar...

Comments: Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?